domingo, 28 de março de 2010

Todos temos uma escolha.

Olá pessoal! ontém eu participei de um treinamento,onde assisti um vídeo que me levou a refletir sobre as escolhas que fazemos. Todos temos uma escolha, e muitas vezes usamos a desculpa de "Não tive escolha" para justificar a nossa falta de coragem, o nosso erro com as pessoas, enfim as inumeras mancadas que fazemos, sendo que TODOS nós temos uma escolha a fazer todos os dias. Ao acordar eu escolho andar conforme os padrões de Deus ou seguir pelo caminho mais fácil, mesmo sabendo que não é o que eu deveria seguir. Eu escolho sorrir mesmo estando triste sabendo que existe um Deus olhando e cuidando de mim, ou posso escolher me lamentar por não ter conseguindo o que tanto queria e achar que esse Deus me abandonou. Gente! É muito fácil reclamar e lastimar ao invés de levantar e continuar a caminhada.É muito mais cômodo achar um culpado do que ir e fazer o que é correto. Vamos cada um fazer as nossas escolhar, sendo certas ou erradas e arcar com as consequências sendo boas ou não, pois a nossa vida é o resultado de nossas escolhas, e escolher ficar parado nos leva a ver as oportunidades passarem sem nem ao menos tentar. Segue o vídeo que nos mostra que uma escolha faz toda a diferença.
video

quarta-feira, 24 de março de 2010

Pedi e não recebe, porque?


"Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças." (Filipenses 4:6)
Seguem abaixo alguns motivos pelos quais não somos atendidos em nossas orações, segundo a Bíblia Sagrada:

Orar sem conhecer a Deus por meio de Jesus. (João 14:6)

Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim.

Orar com o coração que não expressa arrependimento. (Salmos 66:18)

Se eu atender à iniqüidade no meu coração, o Senhor não me ouvirá...

Orar para aparecer. (Mateus 6:5)

E, quando orares, não sejas como os hipócritas, pois se comprazem em orar em pé nas sinagogas e às esquinas das ruas, para serem vistos pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão.

Orar com palavras repetitivas e vazias. (Mateus 6:7-8)

E, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios, que pensam que, por muito falarem, serão ouvidos. Não vos assemelheis, pois, a eles, porque vosso Pai sabe o que vos é necessário antes de vós lho pedirdes.

Orações não feitas. (Tiago 4:2)

Cobiçais e nada tendes; sois invejosos e cobiçosos e não podeis alcançar; combateis e guerreais e nada tendes, porque não pedis.

Orar com coração ambicioso. (Tiago 4:3)

Pedis e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites.

Orar enquanto maltrata seu cônjuge. (1 Pedro 3:7)

Igualmente vós, maridos, coabitai com ela com entendimento, dando honra à mulher, como vaso mais fraco; como sendo vós os seus co-herdeiros da graça da vida; para que não sejam impedidas as vossas orações.

Orar enquanto ignora o pobre. (Provérbios 21:13)

O que tapa o seu ouvido ao clamor do pobre também clamará e não será ouvido.

Orar com amargura no coração por alguém. (Marcos 11:25-26)

E, quando estiverdes orando, perdoai, se tendes alguma coisa contra alguém, para que vosso Pai, que está nos céus, vos perdoe as vossas ofensas.
Mas, se vós não perdoardes, também vosso Pai, que está nos céus, vos não perdoará as vossas ofensas.

Orar sem fé no coração. (Tiago 1:6-8)

Peça-a, porém, com fé, não duvidando; porque o que duvida é semelhante à onda do mar, que é levada pelo vento e lançada de uma para outra parte.
Não pense tal homem que receberá do Senhor alguma coisa.
O homem de coração dobre é inconstante em todos os seus caminhos.

Você tem uma Bíblia? Leia-a constantemente e saiba o que o Senhor tem preparado para aqueles que o buscam.

Não acredite no que os homens ou a religião ensinam, acredite apenas na Palavra de Deus!

Que o Senhor te abençoe!
Louvai ao SENHOR, porque ele é bom, porque a sua benignidade é para sempre. (Salmos 118:29)

segunda-feira, 8 de março de 2010

Feliz Dia das Mulheres 2010

video

Elegância é...!



"Que brilhem como o sol nascente aqueles que amam o Senhor." (Juízes 5:31)
As pessoas geralmente se preocupam com a aparência física e se esmeram para mostrar certa elegância, de acordo com suas possibilidades.

Isso é natural do ser humano. Tanto que muitos buscam escolas que ensinam boas maneiras.

No entanto, existe uma coisa difícil de ser ensinada e que, talvez por isso, esteja cada vez mais rara: a elegância do comportamento.

É um dom que vai muito além do uso correto dos talheres e que abrange bem mais do que dizer um simples obrigado diante de uma gentileza.

É a elegância que nos acompanha da primeira hora da manhã até a hora de dormir e que se manifesta nas situações mais corriqueiras, quando não há festa alguma nem fotógrafos por perto: é uma elegância desobrigada.

É possível detectá-la nas pessoas que elogiam mais do que criticam.

Nas pessoas que escutam mais do que falam. E quando falam, passam longe da fofoca, das maldades ampliadas de boca em boca.

É possível detectá-la também nas pessoas que não usam um tom superior de voz. Nas pessoas que evitam assuntos constrangedores porque não sentem prazer em humilhar os outros.

É uma elegância que se pode observar em pessoas pontuais, que respeitam o tempo dos outros e seu próprio tempo.

Elegante é quem demonstra interesse por assuntos que desconhece. É quem cumpre o que promete e, ao receber uma ligação, não recomenda à secretária que pergunte antes quem está falando e só depois manda dizer se está ou não.

É elegante não ficar espaçoso demais. Não mudar seu estilo apenas para se adaptar ao de outro.

É muito elegante não falar de dinheiro em bate-papos informais.

É elegante retribuir carinho e solidariedade.

Sobrenome, cargo e jóias não substituem a elegância do gesto. Não há livro de etiqueta que ensine alguém a ter uma visão generosa do mundo e a viver nele sem arrogância.

Pode-se tentar capturar esta delicadeza natural através da observação, mas tentar imitá-la é improdutivo.

A pessoa de comportamento elegante fala no mesmo tom de voz com todos os indivíduos, indistintamente.

Ter comportamento elegante é ser gentil sem afetação.

É ser amigo sem conivência negativa.

Ser sincero sem agressividade.

É ser humilde sem relaxamento.

Ser cordial sem fingimento.

É ser simples com sobriedade.

É ter capacidade de perdoar sem fazer alarde.

É superar dificuldades com fé e coragem.

É saber desarmar a violência com mansuetude e alcançar a vitória sem se vangloriar.

É amar ao Senhor sobre todas as coisas.

Enfim, elegância de comportamento não é algo que se tem, é algo que se é.

Mais do que decorar regras de etiqueta e elaborar gestos ensaiados, é preciso desenvolver a verdadeira elegância de comportamento.

Importante que cada gesto seja sincero, que cada atitude tenha sobriedade. A verdadeira elegância é a do caráter, porque procede da essência do ser.
Que o Senhor te abençoe!
Louvai ao SENHOR, porque ele é bom, porque a sua benignidade é para sempre.
(Salmos 118:29)

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

O que é Pecado?


"Se dissermos que não temos pecado nenhum, a nós mesmos nos enganamos, e a verdade não está em nós. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça. " (1 João 1:8-9)

“O pecado não só desagrada a Deus, mas também separa as pessoas da glória que Ele queria que tivessem. Isso mostra a natureza destrutiva do pecado. O pecado separa o homem de Deus”

“Pois todos pecaram e carecem da glória de Deus.” (Rm 3.23.)

“Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor.” (Rm 6.23.)

“Mas as vossas iniquidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça.” (Is 59.2.) Pecar é fazer algo que desagrada a Deus. Toda pessoa nascida neste mundo é pecadora. Até mesmo o mais bonito e inocente bebê, inevitavelmente, pecará. Contudo, o que faz dessa criança uma criatura pecadora não é o primeiro ato pecaminoso praticado, e sim a natureza pecaminosa com a qual ela nasceu. E, ao pecar, ela estará simplesmente expressando a tendência rebelde dessa natureza.

“Eu nasci na iniquidade, e em pecado me concebeu minha mãe.” (Sl 51.5.)

O ser humano é essencialmente pecador, visto que sua vida é centralizada no ego, em vez de centralizar-se em Deus. Tendo o ego como centro dos seus desejos e intenções, a vontade humana inclina-se para agradar e satisfazer-lhe os desejos e caprichos. Dessa forma, agindo sob a influência e controle dessa natureza egoísta com a qual nascemos, inevitavelmente pecaremos contra Deus (Rm 3.23).

O pecado não só desagrada a Deus,mas também separa as pessoas da glória que Ele queria que tivessem. Isso mostra a natureza destrutiva do pecado. O pecado separa o homem de Deus. Todo o mundo está separado de Deus, desde o nascimento. Se esse não fosse o caso, todos os homens conheceriam a Deus naturalmente. Obviamente, isso não acontece!

Algumas consequências do pecado:
- Desagrada a Deus (Gn 6.5-7).
- Traz culpa (Sl 51.3-4).
- Traz separação de Deus (Is 59.1-2).
- Traz juízo e castigo perpétuo (Mt 25.46).
- Escraviza (Rm 6.17.)
- Causa cegueira espiritual (2Co 4.4).
- Causa morte espiritual (Ef 2.1).
- Traz falta de esperança (Ef 2.12).
- Corrompe (Tt 1.15).
- Condena (Tg 5.12).

As palavras bíblicas para o pecado
A Bíblia usa mais de uma palavra para descrever essa experiência universal da separação entre o homem e Deus. As palavras usadas podem ser classificadas em quatro divisões principais.

a) Desvio de uma norma ou padrão
Chattah: errar o alvo ou sair errado (Jz 20.16; Sl 5.14).
Avon: enganar ou perverter, isto é, fazer deliberadamente o que está errado, embora você saiba o que é certo. (Jó 33.27).
Shagah: ser desencaminhado (Jó 19.4; Lv 4.13).
Parabasis (NT): desviar de uma linha reta, isto é, passar dos limites (Rm 4.15;Gl 3.19).
Hamartia (NT): errar o alvo (Mt 1.21; Rm 6.23).
Paraptoma (NT): infrigir uma regra,desviar-se de um caminho (Cl 2.13; Ef 2.5).

b) Descrição de um estado
Pecado é um estado fixo no qual os homens são encontrados.
Rasfa: frequentemente traduzido por perverso ou ímpio (Sl 1.6; 37.28).
Askam: ofender ou ser culpado (Gn 26.10; Lv 5.15-16).

c) Rebelião deliberada
Este é um estado onde as pessoas, orgulhosamente, sentem que podem viver sem Deus e, consequentemente, declaram sua independência dele.
Persha: afrontar a Deus (Is 1.2; 1Rs 12.19).
Anomia (NT): fora da lei ou rebeldia (2Co 6.14; 1Jo 3.4).

d) Ações ou atitudes erradas
March: ser contencioso, rebelde ou teimoso (Sl 78.8).
Marad: se rebelar (Nm 14.9).
Ratah: ser mau ou ruim (Gn 19.7).

A ideia de pecado traduz uma realidade na qual algo ou alguém esteve perdido, desviado do curso ou foi quebrado. O pecado nos aliena e nos separa de um Deus amoroso, causando problemas entre os homens e, finalmente, rompendo sua relação com Deus.

Nossa resposta
Todo o mundo é responsável pelo seu próprio pecado (Rm 14.12). Todos nós pecamos e preferimos amar a nós mesmos a buscar a um Deus amoroso. Deus quer que abandonemos nosso pecado e vivamos para Ele (Ez 18.20-23). O homem escolheu pecar contra a vontade de Deus. Deus sabia as consequências daquela escolha, mas, mesmo assim, deu ao homem o direito de escolher. Hoje, ainda temos uma escolha: ou permanecemos em nosso pecado, e assim continuamos separados de Deus, ou aceitamos a Jesus como nosso Salvador e Senhor.

Jesus ofereceu sua própria vida como sacrifício para salvar-nos da culpa, das consequências e do poder do pecado. Deus não pode ter nenhuma relação com uma pessoa que pecou, ainda que uma única vez, porque Ele é santo. Ele proveu um modo para o nosso pecado ser destruído e removido. Se aceitarmos essa provisão, então Deus pode vir e relacionar-se conosco novamente. Esta é a razão por que fomos criados por Ele. É por isso que nossos corações sentem-se vazios quando não temos nenhum relacionamento com o verdadeiro Deus.

Deus quer que o conheçamos, que saibamos a sua vontade para nós e que, por amor a Ele, estejamos preparados para cumprir o maravilhoso propósito que Ele tem para nós. Ele quer que sejamos parte do seu Reino e nos tornemos seus filhos. Para isso, primeiramente, nossos pecados devem ser perdoados. Em seguida, a natureza pecadora com que nós nascemos deve se colocada na morte, através do novo nascimento (Jo 3.5-7). Somente assim teremos uma nova natureza e poderemos conhecer a Deus e desfrutar a sua comunhão.

Para meditar:
1 – Errar o alvo é uma boa definição para a palavra “pecado”. Por quê?
2 – Qual é a consequência universal do pecado? (Is 59.1-2).
3 – Por que Deus colocou o homem diante de uma escolha, se Ele sabia que o homem pecaria e se separaria dele?
4 – O que aconteceu com Adão, quando pecou?
5 – Qual foi o resultado do pecado de Adão, para o restante da humanidade?
6 – Por que a culpa é o principal problema de consciência que a maioria das pessoas enfrenta?
7 – Por que a maioria das pessoas não reconhece que está desagradando a Deus?

Resumo e aplicação
1 – Todas as pessoas nascem com uma natureza pecaminosa.
2 – Como seres humanos, nossa tendência natural é seguir as coisas que desagradam a Deus.
3 – Todo mundo é responsável e será cobrado pelos seus próprios pecados.
4 – Deus enviou Jesus para que Ele levasse o nosso pecado na Cruz.
5 – Para participarmos dos benefícios da obra de Jesus, precisamos pedir a Deus que nos perdoe por tudo que temos feito de errado, não errar mais e receber Jesus como nosso Senhor e Salvador.

Que o Senhor abençoe a todos!

sábado, 6 de fevereiro de 2010

Estou de Volta!!

Povo abençoado por Deus, estou de volta, passei uns tempos sem escrever no blog,mas agora estou com a todo gás. O ano de 2010 está apenas no começo e Deus tem muito, mas muito para nos abençoar e nos direcionar pelo caminho correto.
Que Deus abençoe a todos e logo voltarei com novidades e mensagens edificantes. pois nós somos a voz de Deus e Vozes de Louvor e adoração.
A Paz de Cristo esteja com todos.